quinta-feira, 29 de julho de 2010

A PACIFICIDADE DO PASTOR JÔNATHAS...




A PACIFICIDADE DO PASTOR JÔNATHAS...
CLEMILDO BRUNET*





“Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” (Jesus Cristo).

Em meados dos anos sessenta chegava a Pombal o Rev. Jônathas Barros de Oliveira, para pastorear a Igreja Presbiteriana, pioneira na missão de levar o evangelho puro da graça de Cristo em nossa cidade. Aos poucos, a sociedade pombalense pode sentir na presença desse homem, o carisma que lhe era peculiar, a ponto de conquistar a amizade do Padre da freguesia, o Monsenhor Oriel Antonio Fernandes. A amizade que essas duas lideranças religiosas cultivavam era de tal maneira, que chegou a ser motivo de admiração de muitos, e de espanto e rejeição de alguns. Na ocasião em que o Sacerdote romano foi acometido de uma enfermidade terminal, o Pastor Jônathas sempre o visitava, trazendo-lhe uma palavra de conforto, outras vezes, monsenhor Oriel mandava chamá-lo para conversar.
Houve uma época em que a Igreja católica Romana perseguia os chamados crentes ou protestantes. O Pastor Jônathas Barros, foi uma das vítimas desse movimento perseguidor da Igreja, quando na década de cinquenta, pastoreava a Igreja Presbiteriana de Patos. Conta o repórter Euclides Cavalcante Macedo do Jornal Brasil Presbiteriano:
Era noite do dia 28 de junho de 1958 e estava tudo pronto para a missa começar do lado de fora da Igreja de Santo Antônio... O povo, anteriormente já instigado e inflamado pela liderança católica contra os evangélicos, partiu em direção à Igreja Presbiteriana em Patos, que ficava a cerca de quinhentos metros de distância, e a destruiu...
O fotógrafo profissional Adgerson de Morais Porto, que à época tinha 28 anos, gravou espontaneamente uma entrevista conosco. Ele não perde a oportunidade para afirmar que era “o fotógrafo oficial” dos eventos paraibanos, que fotografou várias inaugurações, inclusive as passagens do então presidente Getúlio Vargas pela Paraíba.
Depois que a turba enfurecida partiu da Igreja Presbiteriana, Adgerson Porto pegou sua câmara fotográfica e foi por conta própria fotografar a bagaceira.
“Era de dar dó. Uma coisa muito triste. A igreja estava toda queimada, por dentro e por fora, o teto tinha vários rombos, nas paredes estavam escritos palavrões e desaforos aos crentes. Toda a bancada, o púlpito, a mesa, as portas e as janelas foram jogadas para fora da igreja e consumidas pelas chamas. Fotografei tudinho e entreguei algumas fotos ao pastor Jônatas Barros de Oliveira e não tenho mais os negativos”.
Arnaldo Ferreira do Nascimento, que na época morava na rua 18, em Patos, participou do motim levando um motor para atiçar fogo na madeira que estava sendo retirada do templo. Arnaldo, algum tempo depois, se converteu e hoje é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, no estado de São Paulo. Glória a Deus!
O pastor Jônatas Barros de Oliveira foi ameaçado de morte e fugiu de trem para a cidade de Pombal. O irmão em Cristo José de Sá lembra-se daquele dia: “Fui eu que apanhei o pastor Jônatas, em fuga, na cidade de Pombal e o transportei de jumento até um sítio. O pastor continuou pregando pelos povoados próximos, sempre levando nas mãos uma latinha com as cinzas da Igreja Presbiteriana em Patos. Ele mostrava as cinzas e dizia: destruíram o templo, mas não a igreja”.
Apenas tornando uma longa história curta, alguns anos mais tarde, o templo foi reconstruído no mesmo local do anterior e hoje a Igreja Presbiteriana em Patos conta com quatro congregações, um ponto de pregação, além de uma escola./ site: chamada.com.br

JÔNATHAS BARROS DE OLIVEIRA -nascido em 25 de Julho de 1928, natural de Garanhuns Pernambuco, RG 55.897 – IPTP, filho de Antonio de Barros Sobrinho e Cândida de Oliveira Barros, e doze irmãos. Foi casado com Ruth Carneiro Barros (saudosa memória) e tiveram seis filhos: Rutilene Carneiro Barros, Jailson Carneiro Barros, Jônathas Barros de Oliveira Júnior, Willian Wilson Carneiro Barros, Janildo Carneiro Barros e Mirna Carneiro Barros. Formado no Curso Ministerial, no Seminário Presbiteriano do Norte do Brasil, em Recife PE. Formado no Curso de Teologia na Faculdade de Teologia do Recife/PE; formado no Curso de Rádio e Emissão e Radioamadorismo, em João Pessoa/PB. Formado no Curso Comercial e Técnico em Inglês.
Foi professor de inglês no Colégio Robert Simonses, em Patos/PB; professor de inglês por um ano, nos Colégios Josué Bezerra e Diocesano de Pombal e ainda desde a fundação professor de Inglês do Colégio Estadual de Pombal exercendo também a função de vice-diretor do turno noite; ex-vice diretor do Colégio Polivalente na sua fundação; fez a compilação de apostilas áreas 1,2,3 para curso pré-vestibular, cujas aulas foram ministradas em João Pessoa. Professor de teologia das Escolas Dominicais, em Patos, Pombal e Sousa, Paraíba e Alexandria no Rio G. do Norte. Realizou pesquisas sobre a psicologia carcerária (forense e Carcerária); foi Diretor do Instituto Acelino de Carvalho em Pombal/PB, Secretário Executivo do Presbitério da Borborema com sede em Campina Grande; primeiro Diretor Superintendente da Rádio Maringá AM; foi pastor das Igrejas Presbiterianas de Patos, Pombal, Sousa, Imburaninha, Betel, Betânia, Campina Grande, João Pessoa na Paraíba, Lagedo e Canhotinho em Pernambuco.
Atuou também como Diretor da sub Seccional da Labre em Pombal na Paraíba; tendo sido membro do Conselho do Movimento de Alfabetização (MOBRAL); Foi Presidente do Rotary Clube de Pombal; Radioamador sob o prefixo PY-7 AWL; exercendo ainda outras atividades como: Presidente dos Conselhos das Igrejas as quais foi pastor; Presidente fundador da Associação Evangélica Cultural de Patos ACEP; relator da Comissão Organizadora da Igreja Presbiteriana de Patos e fundador da União de Homens Presbiterianos da mesma cidade; participou ativamente de um Congresso em favor do pobre e flagelado em Fortaleza, promovido pela Missão Americana do Norte do Brasil; Pastor Missionário pela The North Presbyterian Mission Of Brazil, durante cinco anos entre o Sertão da Paraíba e o Estado do R. G. do Norte e ex presidente da União de Moços Presbiterianos de Garanhuns/PE. Faleceu no dia 27 de janeiro de 1996, vítima de insuficiência múltipla dos órgãos no Hospital Edson Ramalho e foi sepultado no Cemitério São José – Bairro Cruz das Armas em João Pessoa – PB.
O Reverendo Jônathas ou Pastor Jônathas como era conhecido, foi alvo de muitas homenagens nas comunidades e igrejas por onde passou. Em João Pessoa, por exemplo, tem uma rua no bairro dos bancários - cidade universitária com o seu nome. Rua Pastor Jônathas Barros de Oliveira. Quando foi pastor da Igreja Presbiteriana de Betel, localidade hoje que pertence ao Município de São Domingos de Pombal, nos idos dos anos sessenta, instalou um serviço de radiofonia naquele lugar denominando de Rádio Betel, por sinal, foi muito ouvida na região e sua programação era restrita tão somente a programas evangélicos e transmissões do culto. Em 1966 adquiri essa emissora e instalei em Pombal com o nome: “A Voz da Cidade”.

Pouco tempo depois o pastor Jônathas veio morar em Pombal. Aqui ele fixou residência com a família chegando a construir uma casa nas proximidades da sede do antigo DNER. Em 1982, candidatou-se a Prefeito de Pombal na segunda sublegenda PFL 2, tendo como companheiro de chapa para vice prefeito, o cidadão João Ferreira de Almeida. Não logrou êxito nas eleições, pois havia entrado para disputa apenas pra ajudar o partido, cuja chapa majoritária formada por Ademar Pereira e Epitácio Vieira de Queiroga para Prefeito e Vice respectivamente, pelo PFL 1, perdeu as eleições para o então candidato a Prefeito Levi Olimpio.
1969 - início da chegada do sinal de TV, invento idealizado pelo Pastor Jônathas Barros de Oliveira (saudosa memória), através da construção de uma antena rômbica como ele costumava chamar. Dr. Nelson da Nóbrega, Professor Arlindo, Raminho, Vicente Farias, W. J. Solha e outros com o apoio da Administração municipal na pessoa do Prefeito Atencio Bezerra Wanderley colaboraram para por em execução esse projeto audacioso para época, pois o sinal a ser recebido era oriundo da extinta TV TUPI, a uma distância de Pombal, cerca de 500 km, na capital pernambucana.
Na sua forma embrionária o sinal era precário; depois com novas investidas foi se aperfeiçoando, o certo é que grande parte da população de Pombal subiu até o alto do Cruzeiro próximo da adutora elevatória da Cagepa, para assistir em um televisor preto e branco de propriedade de Raminho, a chegada do homem à lua.
Pombal ainda pequeno na sua extensão urbana com o número de moradores reduzido em relação ao que é hoje teve o seu momento de euforia e orgulhosa assistiu as imagens transmitidas pela Nasa para o mundo inteiro.
Lembro-me do Pastor Jônathas Barros de Oliveira em suas prédicas na Igreja Presbiteriana de Pombal e outros locais de reuniões, exaltando a capacidade que Deus deu ao homem a ponto de conquistar o espaço sideral e chegar à Lua, citando passagens bíblicas como o salmo 8 que diz assim: “ Ó Senhor, Senhor nosso, quão magnífico em toda terra é o teu nome... Quando comtemplo os teus céus obras dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem que dele te lembres e o filho do homem que o visites? Fizeste-o, no entanto, por um pouco menor do que Deus e de glória e de honra o coroaste. Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob os seus pés tudo lhe puseste; ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves dos céu, e os peixes do mar, e tudo que percorre as sendas dos mares. Ó Senhor, Senhor nosso, quão magnífico em toda terra é o teu nome”. Segundo o Pastor Jônathas as palavras deste salmo foram deixadas escritas em uma placa no solo lunar, pelos astronautas americanos.
Excelente professor de inglês, o Pastor Jônathas era muito querido por seus alunos(as), muitas vezes foi visto percorrendo as ruas de nossa cidade sorrindo e brincando como criança com todos eles. 25 de julho lembra mais uma data de seu nascimento, se vivo estivesse estaria completando 82 anos. É com gratidão e profundo sentimento de saudades que lhe presto este tributo, em reconhecimento aos seus feitos em nossa cidade durante duas décadas consecutivas.
Hoje ele pertence à galeria dos heróis da fé, entre os que a Bíblia se refere: “Homens dos quais o mundo não era digno...” Hb. 11:38a

*RADIALISTA
Contato brunetco@hotmail.com
Web www.clemildo-brunet.blogspot.com
3 comentários Links para esta postagem

5 comentários:

Jahy Barros Junior disse...

Parabéns pelo site Rev. Brunet. Que Deus continue a abençoa-lo ricamente. O Rev. Jonathas, meu tio, é para mim um estímulo para o ministério, pois me ensinou através da sua vida, a simplicidade, a humildade e o seviço cristão vivendo apaixonadamente o Evangelho, servindo a sociedade sem discriminação, mas vendo a todos como alvos do amor de Cristo.
Rev. Jahy Barros Junior
Palmas-TO

Jahy Barros Junior disse...

Parabéns pelo site Rev. Brunet. Que Deus continue a abençoa-lo ricamente. O Rev. Jonathas, meu tio, é para mim um estímulo para o ministério, pois me ensinou através da sua vida, a simplicidade, a humildade e o seviço cristão vivendo apaixonadamente o Evangelho, servindo a sociedade sem discriminação, mas vendo a todos como alvos do amor de Cristo.
Rev. Jahy Barros Junior
Palmas-TO

Pr.Eli Vieira disse...

Rev. Brunet parabéns pela matéria postada.Estou copiando a matéria e publicando no Blog O Agreste Presbiteriano.
Rev. Eli Vieira

Pr.Eli Vieira disse...

Nobre Brunet, estou copiando sua postagem no Blog O Agreste Presbiteriano.

Pr.Eli Vieira disse...

Nobre Brunet, estou copiando sua postagem no Blog O Agreste Presbiteriano.

Ouça nossa rádio